PandiniGP

Automobilismo, motociclismo, música, política, cinema, história... Este é um espaço para compartilhar ideias, opiniões, imagens, sonhos e loucuras. Divirta-se!

Minha foto
Nome:
Local: São Paulo, SP, Brazil

Jornalista nascido em Santos - safra 1968 - e radicado em São Paulo desde 1985. Twitter: @pandinigp. "A única diferença entre um louco e eu é que eu não sou louco." (Salvador Dalí)

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

E SE...

Reproduzo abaixo nota do Blue Bus, site de notícias de mídia, sobre um fato ocorrido na Daslu - aquela loja que meu amigo Nelson Velho chama de "valhacouto de sonegadores de impostos", devido a alguns processos por dribles ao fisco que renderam uma condenação a 94 anos de prisão a uma de suas proprietárias.
.
Noticia do Blue Bus - 30/09/09
Roupas desapareciam das prateleiras e cabides da Daslu, era uma ladra

09:15 Um misterioso sumiço de roupas agitou, por várias semanas, os corredores da Daslu, a controvertida butique que congrega algumas das grifes mais exclusivas e caras instaladas no Brasil apesar de todo o noticiario policial sobre as atividade dos socios. Quem conta é Monica Bergamo na sua coluna de hoje - Diz que as mercadorias começaram a desaparecer de prateleiras e cabides aos poucos - "Mas, em determinado momento, o desfalque chegou a R$ 200 mil" - pontua. Segue - "Há alguns dias, a bomba explodiu - a ladra era uma alta funcionária de uma das joalherias instaladas na própria butique - ela tinha permissao para pegar roupas de grifes e levar à joalheria para mostrar às clientes - "Acontece que, uma vez com a roupa, a gerente retirava os detectores da peça -aqueles que disparam um apito quando a pessoa sai da loja sem pagar - e saía tranquilamente pela porta da frente com a mercadoria surrupiada". Fecha - "O escândalo, por 'razoes humanitárias', foi abafado".
.
Leu direitinho? Então, pergunto: e se, em vez de "uma alta funcionária de uma das joalherias instaladas na própria boutique", a ladra (ou o ladrão) fosse uma faxineira, um manobrista ou outro trabalhador humilde? Será que o escândalo seria abafado "por razões humanitárias"?
.
Conhecendo a "grande mídia" como conheço, afirmo peremptoriamente que não. E você? O que acha?

Marcadores:

10 Comentários:

Blogger Daniel Médici disse...

Li a nota na coluna da Mônica Bergamo, que é a fonte da informação declarada pelo Blue Bus. Sendo assim, imagino que a notícia foi "abafada" não pela "grande mídia", mas pela própria Daslu. A "grande mídia" - no caso, a colunista - publicou a informação quando chegou até ela.

O mais impressionante, nesse caso, para mim é um dado que foi omitido pelo Blue Bus: que a infratora foi direcionada a uma clínica psiquiátrica.

A sua suposição, neste sentido, é bastante válida. Fosse uma faxineira, iria para a prisão. Essa diferença de tratamento é aterradora. Para a Daslu, rico não pode ser criminoso e pobre não pode ter problemas psiquiátricos. Mais uma prova de que a doença é um dado social.

quarta-feira, 30 de setembro de 2009 15:03:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

como dizia minha vó:

"ladrão que rouba ladrão merece cem anos de perdão"

quarta-feira, 30 de setembro de 2009 16:39:00 BRT  
Blogger Gustavo Lucena disse...

Pandini, vc recebeu meu e-mail do bottom do PSDB em que se escreve Brasil com Z?

quarta-feira, 30 de setembro de 2009 20:42:00 BRT  
Anonymous preconceituoso disse...

200 mil em roupas roubadas?
Tá cheirando esquema pra burlar o fisco...
Agora pobre não pode roubar na Daslu, os produtos que eles roubariam estão na Marisa...
hehehe

quarta-feira, 30 de setembro de 2009 23:15:00 BRT  
Anonymous preconceituoso disse...

200 mil em roupas roubadas?
Tá cheirando esquema pra burlar o fisco...
Agora pobre não pode roubar na Daslu, os produtos que eles roubariam estão na Marisa...
hehehe

quarta-feira, 30 de setembro de 2009 23:15:00 BRT  
Blogger politicamente_incorreto disse...

Tudo que é notícia oriunda da Daslú e povo que alí orbita me dá nauseas, gente fútil e pobre de alma. prá mim não passa da ralé endinheirada, dinheiro este vindo de verbas públicas, devios fiscais, tráfico, contrabando e no mínimo outros 500 delitos e crimes todos eles elencados no código penal.

Pra mim fazem parte de uma sub categoria de seres humanos, andam como gente, falam como gente , tem aspecto de gente, mas não são gente. Só um animal insensível e sem uma gota sequer de amor ao próximo ou algum tipo de compaixão pelo semelhante pode dar algumas dezenas de milhares de reais em produtos fúteis sem utilidades como alguns farrapos de tecido ou uma bolsa que nada difere das vendidas no sahara no Rio ou na 25 de março em Sampa, sem demagogia é só saber que uma quantia dessas dá para manter com dignidade uma familia inteira por no minimo tres ou quatro anos, como dizem os muculmanos: Que ardam todos no mármore do inferno, desde a larápia dona até a larápia gerente.

Sei que a Tranquesi jamais cumprirá um dia da sua pena de 94 anos, pois afinal cadeia no Brasil foi feita apenas para pobres. Essa vaca deve estar esperando o próximo mandado de prisão para continuar o seu tratamento contra o câncer, honestamente acho que o cãncer não merecia ter o azar de se alojar em terreno tão ruim....

quarta-feira, 30 de setembro de 2009 23:47:00 BRT  
Blogger Papai aun disse...

respondo com outra suposição se na F1 o participante da falcatrua ou logro não fosse o inocente Alonso kid vigarista? Qual teria sido o resultado do julgamento ?

quinta-feira, 1 de outubro de 2009 10:19:00 BRT  
Blogger Papai aun disse...

200 mil? tô com tanta peninha da tranbiquesi.papaiaun

quinta-feira, 1 de outubro de 2009 10:21:00 BRT  
Blogger Caíque Pereira. disse...

PAnda,

Isso já não me causa mais surpresas. Lamentavelmente é assim.

quinta-feira, 1 de outubro de 2009 11:06:00 BRT  
Blogger christian disse...

Com certeza se fosse a faxineira estaria presa

sexta-feira, 2 de outubro de 2009 20:13:00 BRT  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Início

free counters